Terapize

Como Reconhecer se Estou em um Relacionamento Abusivo?

Relacionamento Abusivo

Relacionamentos é um dos temas mais frequentes dentro do universo da psicoterapia e no dia a dia de nossos consultórios. Muitas vezes podem ser motivos e gatilhos para ansiedades e sofrimentos verbalizados pela fala e até mesmo no corpo de nossos pacientes. Como reconhecer se estamos em um relacionamento abusivo? No artigo de hoje, abordaremos algumas dicas sobre a conscientização deste processo!

Existem 4 fases características desse relacionamento que funcionam como um ciclo que se repete constantemente:

  • Fase 1: encantamento/lua de mel 

No início tudo começa rápido, intenso, muitas mensagens, muitos encontros, a pessoa quer saber tudo sobre você. Ela parece ser tudo que você sempre quis. Logo você se apaixona.

  • Fase 2: tensão 

Os abusos começam de forma sutil, não são explícitos e a pessoa pode ficar confusa se aquilo foi abuso, se não foi. No fundo ela SENTE que tem algo de errado, mas ignora. 

A pessoa abusiva sempre encrenca com alguma coisa, sua roupa, trabalho, amigos, família, seu jeito, sua risada. Você se vê sempre tensa e não sabe o motivo.

  • Fase 3: explosão 

Os abusos acontecem de fato, brigas, discussões, agressão também pode ocorrer. 

Nessa fase se a vítima sair da negação e assumir que está em um relacionamento abusivo ela pode QUEBRAR O CICLO.

Senão… ela volta para a Fase 1 em que a pessoa abusiva pede perdão, “volta a ser como era antes”, faz promessas, etc. a vítima fica pela ESPERANÇA, FANTASIA E IDEALIZAÇÃO de que tudo volte a ser como era antes. 

  • Fase 4: descarte (pode ocorrer ou não – se não ocorrer o ciclo volta para a fase 1)

Quando a pessoa abusiva termina com a vítima para ficar com a outra pessoa. Sem consideração, empatia e remorso. A pessoa abusiva troca de vítima.

A única pessoa capaz de quebrar esse ciclo é reconhecer e assumir que está em um relacionamento abusivo, ter uma rede de apoio, buscar ajuda especializada com psicólogo e se fortalecer emocionalmente. Pode não parecer, mas acredite: os sinais aparecem nos primeiros encontros, mas passam desapercebido se você não ficar atenta!

Como o abusador costuma iniciar o relacionamento de forma muito intensa e apaixonante, você pode não ver esses sinais por estar apaixonada e também por que ele ainda não iniciou os abusos.

No entanto, temos dois aliados: a informação e nossa intuição! Sabe aquela sensação de “Humm, tem algo estranho aqui?”, pois é, acredite nessa voz que diz que tem algo de errado.

Como identificar um abusador?
Como identificar um abusador?

Vamos aos sinais de alerta de risco para um potencial abusador:

  • Monopoliza sua atenção ou te desencoraja a estar com as pessoas, principalmente se elas não gostarem dele;
  • É ciumento, possessivo, controlador e os ciúmes pode vir sem motivo algum;
  • Ele é intenso e se envolve demais. Tem necessidade de contato constante;
  • Te manda mensagens ou te liga sem parar. É desrespeitoso com seus limites pessoais;
  • Fala de forma desrespeitosa de seus antigos relacionamentos;
  • Tem atitudes negativas quando as mulheres,
  • principalmente com as empoderadas;
  • Nada é culpa dele, ele sempre tem razão;
  • É autocentrado e egocêntrico;
  • Pode usar drogas ou álcool excessivamente;
  • Pressiona por sexo – não aceita o seu “não”;
  • Ele a intimida quando ele está com raiva;
  • Tem dois pesos, duas medidas;
  • Trata você diferente na frente dos outros;
  • Menospreza as suas realizações ou metas;
  • Faz comentários humilhantes diretamente a você ou na frente de outras pessoas;
  • Nunca parece estar feliz com você, não importa o que você faça, parece que nada é suficiente;
  • Ignora seus sentimentos ou o que é importante pra você;
  • Sempre toma o ponto de vista contrário ao que você diz.

desequilíbrio de poder na relação. Ele utiliza de meios de dominação e poder sobre você.

Ele é o mágico da manipulação, tira da cartola tudo para conseguir o que quer, se não consegue com um truque, vai tentar com outro até você ceder.

Ele te faz se sentir pequena, indefesa para que ele se sinta maior, ele faz as regras do jogo. Ele sabe o que vai funcionar ou não, porque sabe suas fraquezas e ele vai explorar todas elas.

Você quer resolver o problema, esse é o seu foco, mas parece que nunca consegue de fato abordar o problema atual, quanto mais tenta resolver, mas ele luta contra você.

Você fica em um estado de confusão, por que não entende qual o motivo dele não querer uma solução. Ele te distrai com detalhes e te deixa exausta, quanto mais você se esforça, percebe que não chega em lugar nenhum.

Sequelas emocionais de quem está em um relacionamento abusivo:

Toda vítima de relacionamento abusivo sofre com algumas “sequelas emocionais” de viver por um longo período de abuso. O vínculo pelo trauma dificulta a separação, juntamente com os efeitos psicológico abaixo:

1. CULPA: como o abusador colocou culpa em você o relacionamento inteiro, você acredita que poderia ter feito algo pra mudar, pra melhorar, pra que nada daquilo tivesse acontecido. E a culpa é paralisante, você remove erros, rumina pensamentos distorcidos sobre si mesma e sobre o relacionamento.

2. VERGONHA: imagina contar para os outros o que viveu com esse abusador? É extremamente vergonhoso, afinal pode ter acontecido de outras pessoas terem te alertado ou até mesmo você ter tentando ficar longe dele, mas pelo vínculo traumático não conseguiu.

3. CONFUSÃO MENTAL: “será que foi abusivo? Será que eu estou imaginando coisas? Eu exagerei? Nem era tão ruim assim, ele nem me batia…” Acredite, se você tem dúvidas se aquele relacionamento era saudável, você já tem a sua resposta, ele não era. Relacionamento saudável NÃO DEIXA DÚVIDAS.

4. ESPERANÇA: você acredita que ele pode mudar, já que ele tem momentos bons, ele fica bonzinho 2 semanas e tudo volta ao que era antes. Ele chora, diz que vai mudar, até faz terapia (que ele usa contra você), mas você continua com ele. Espera meses, anos por essa mudança que nunca vai acontecer. Nunca!

5. MEDO: Você pode morrer de medo dele porque podia te ameaçar, te bater, te agredir e até desenvolver TEPT (Transtorno do Estresse Pós Traumático), o medo é constante e demora a passar.

A importância de buscar ajuda especializada:

A saúde emocional e psicológica de quem viveu/vive um relacionamento abusivo fica extremamente frágil. Ninguém consegue se manter bem emocionalmente vivendo constantemente sob abuso ou por um longo período de tempo.

É importante buscar ajuda psicológica para lidar com as questões referentes ao trauma emocional. É fundamental buscar um profissional que seja especialista na demanda de relações abusivas.

O tempo não cura nada e pela minha experiência profissional, as vítimas que não fizeram tratamento psicológico e/ou psiquiátrico – quando necessário – voltaram para seus abusadores ou caíram em outro relacionamento abusivo.

Por isso, é fundamental olhar para o que você viveu/vive para que se fortaleça para não viver novamente esse tipo de relacionamento.

Pessoas com uma rede de apoio forte em geral tem maior autoestima daqueles que não tem, porque sabem como é se sentir valorizada, enxergada, querida e protegida.

Quando você está em um relacionamento abusivo você se vê sozinha, sem ninguém para te amparar, tornando difícil terminar um relacionamento assim, porque tem baixo nível de autoconfiança; vem a sensação de desamparo, que alimenta suas inseguranças.

Aquela frase clichê de que é preciso se amar primeiro para depois entrar no relacionamento não é balela, primeiro porque se não temos bem definido dentro de nós, quem somos, no que somos boas, nossos pontos cegos, aceitar os defeitos e nossa história, arriscamos acreditar no que dizem sobre nós.

Segundo, que quando desenvolvemos uma autoestima fortalecida e saudável, não vamos aceitar menos do que merecemos, porque sabemos de fato o que vivemos e o que buscamos em uma pessoa.

É querer se relacionar pelo amor, pela troca, pela evolução entre duas pessoas que escolhem estar uma com a outra.

Não por medo da solidão, por aceitar uma pessoa que meio que te trata bem, meio que te faz bem.

É preciso ser inteira para não aceitar um relacionamento meia boca. É que a autoestima e a autoconfiança te fortalece, você sabe quem é, sabe do que é capaz e sabe o que merece.

Quanto mais o seu senso de valor cai e você se sente impotente diante da vida é mais propensa a se relacionar com um abusador, pois ele te manipula e te “dá” o que você quer: aprovação, aceitação.

Mas isso é só no começo para fazer você se conectar com ele.

A rede de apoio funciona como uma prevenção à recaídas, por são pessoas da sua intimidade e confiança, que vão te ajudar a se manter firme durante todo o processo de término do relacionamento e/ou para conseguir terminar o relacionamento.

Provavelmente o abusador te deixou isolada das pessoas e você se sente só, mas resgatar esses vínculos é fundamental para conseguir se fortalecer e ficar longe do domínio dele.

Nunca acredite que você mereceu passar por isso e que foi a sua culpa viver um relacionamento abusivo.

Infelizmente aconteceu com você, mas isso não significa que você teve culpa em atrair isso para a sua vida.

Hoje você pode se apropriar da sua vida e fazer novas escolhas por você!

Giuliana Siciliano

CRP 06/123468

Gostou do artigo? Leia mais sobre relacionamentos em nosso blog!

Em casos de violência física e psicológica, procure a delegacia da mulher e os serviços públicos.

Envolva-se!

Comentários

@peepso_user_751(Giuliana Siciliano)
Foi um prazer poder ter contribuído com o blog!
@peepso_user_716(Editor Terapize )
@peepso_user_751(Giuliana Siciliano) O prazer foi nosso Giuliana! Que seja o início de uma bonita parceria! 🙂